quarta-feira, 29 de maio de 2013

Conhece a história e organização da PJ?

Conhecer a história e saber  o porquê da organização é um movimento importante para a juventude construir algo novo a partir de sua história pessoal e comunitária.
Este texto da Carmem Lucia Teixeira ajuda o grupo de jovens a entrar nesta história da PJ. É somente uma provocação para que outras pessoas também possam escrever as suas histórias. O texto pode ser usado para preparar um encontro, para o estudo pessoal ou no grupo de jovens.
Podemos comentar aqui no blog outros aspectos da história da PJ e de sua organização que você considera importante e que não foi tratado no texto. Ou, ainda, contar a sua história no grupo de jovens, assim vamos gerando conhecimento a partir de vários pontos de vista. Se topar o desafio, escreva!

TEXTO: HISTÓRIA E ORGANIZAÇÃO DA PJ

terça-feira, 28 de maio de 2013

Escutar – atitude do Mestre e do Discípulo/a



“Marta, Marta!
Você se preocupa e anda agitada com muitas coisas.
Porém, uma só coisa é necessária.
Maria escolheu a melhor parte, e esta não lhe será tirada.”
[Lucas 10,41-42]

Estamos a caminho. Nosso horizonte é Jerusalém. Não podemos fugir. Deus nos deu a graça de fazer essa caminhada. Cheia de sinais. Cheia de vida. Cheia de cheiros. Nesse ano, vivendo o processo de revitalização das Pastorais da Juventude da América Latina e Caribe, caminhamos por Betânia. Esse mês, leva-nos a encontrar com Marta, Maria e com Jesus. Faz descobrir, com elas, que só uma coisa é necessária, é da essência. Mas, o que é necessário? Esta pergunta deve ser feita neste tempo de revitalização? O que é o necessário no serviço à juventude?
Contemplar este encontro entre Jesus, Marta e Maria provoca que nós, Igreja Jovem do Continente, pensemos um elemento, que é extremamente necessário no serviço à juventude. A fala de Jesus nos desafia a pensar na ESCUTA. As Pastorais da Juventude tem escutado o Senhor? Tem escutado a Palavra? Tem escutado Deus falar nos/as jovens? Qual o espaço da escuta dentro das PJs? Os/as jovens tem sido escutados? Os assessores/as tem sido escutados? Os grupos de jovens tem sido espaço de escuta da vida da juventude? A Igreja tem escutado a juventude? A Igreja tem escutado os clamores juvenis? Estamos atentos ao essencial e necessário?
Todos/as nós precisamos ter alguém que nos escute. Mas, não uma escuta de faz de conta. Uma escuta com o corpo, com a vida. Uma escuta de acolhida, sem juízo, sem valor. Uma escuta incondicional. Para se colocar a serviço da escuta precisamos, inicialmente, estar a disposição para tal atitude. Mais do que uma atividade, isso é um “jeito de ser” de respeito e atenção ao outro e a outra.
Essa escuta aprendemos do Mestre. Aprendemos de sua humanidade e divindade. Aprendemos Dele e descobrimos com Ele, em Betânia, que a escuta é necessária. E seguindo-O devemos nos colocar a escutar os/as jovens. A fantástica obra Civilização do Amor – Projeto e Missão, o documento mais oficial da Pastoral da Juventude na América Latina, neste momento, ajuda-nos a compreender a dinâmica da escuta a partir de Jesus: “Jesus não só instrui, mas ensina a aprender. O discípulo vai se configurando com a ajuda da escuta e da ação [...]. A escuta do discípulo implica uma sequência de práticas: ouvir – fazer – guardar. A Pastoral Juvenil se configura com o Mestre se estiver em atitude de escutar, assimilar e por em prática as suas orientações. Este processo de escuta – ação é a imitação do Filho que escuta o Pai e realiza as obras queridas por Ele [n. 686].”
Talvez se esconda na ESCUTA o segredo da assessoria. Um bom assessor/a é quem se coloca a escutar. Igualmente esteja aí o segredo do grupo de jovens. Se o grupo é lugar de escuta da vida da juventude, o grupo se fortalece, cresce. Escutar os gritos da juventude onde moramos se trata do exercício inicial de qualquer atividade que fazemos em prol deles. Escutar, escutar...
Podemos dizer que é urgente a atitude de Maria para as Pastorais da Juventude em processo de revitalização: “sentou-se aos pés do Senhor e ficou escutando a sua Palavra” (Lucas 10,39). Tantas vezes nas ocupações diárias e em tantas acusações que chegam, podemos correr o perigo de não escutar o Mestre e escutar apenas aquilo que machuca, que dói. É preciso estar atentos. É preciso escolher a melhor parte. O exemplo dos profetas e dos mártires nos engrandece. O sangue derramado e as falsas acusações são parte integrante daqueles que se dedicam a escutar sem medida o grito dos caídos.
Betânia nos convoca à Escuta. O Senhor nos envia a Escutar. Aceitamos esse convite-envio?
Com o cheiro nem sempre agradável da escuta, caminhamos,
na certeza de que um dia não haverá mais morte e extermínio de jovens.

Pe. Maicon André Malacarne – Assessor da PJ na Diocese de Erexim/RS
Luis Duarte Vieira – Militante da PJ e noviço admitido à Companhia de Jesus

Ilustração de cenas bíblicas Africanas.

segunda-feira, 27 de maio de 2013

Quer material sobre a Redução da Maioridade penal?


O tema da maioridade penal exige de nós educadores/as  e jovens uma boa reflexão porque envolve um debate com a sociedade e com as estruturas do sistema.
Os direitos que foram conquistados na sociedade brasileira exigiu de muita gente luta. Nada foi de graça. Mesmo que haja movimentos que dizem o contrário. Por isto, a luta contra a redução envolve interesse e grupos que desejam encarcerar os pobres, negros, analfabetos...
Nós queremos uma sociedade de partilha, de direitos garantidos para todas as pessoas.
Por isto, oferecemos uma coletânea de textos que ajudará você a construir seus argumentos para fazer um debate a partir de outro lugar que não seja, a repetição da mídia e seus interesses.

TEXTOS E OUTROS MATERIAIS PARA APROFUNDAR O TEMA DA REDUÇÃO

domingo, 26 de maio de 2013

Sou Cajueiro - um movimento a favor da vida


Esse movimento “SOU CAJUEIRO” começou no início deste ano. Ele já mobilizou várias pessoas em vista de uma causa – a vida da juventude empobrecida. Não vamos deixar os/as jovens órfãos, afirmou Vanildes Gonçalves em 18 de janeiro.

Uma das cartas recebidas dizia: Coragem! Se Deus proveu até aqui. Continuará cuidando em outros espaços. Esse movimento que caminha pela madrugada,  porque perdemos o sono em busca de encontrar sentido para a morte, como experimentou Madalena. Lá naquele tempo e, também, agora o Mestre a encontra e diz a Palavra que anima a comunidade a seguir. 

Vivemos essa experiência em que muitas pessoas tem buscado uma forma de participar e de contribuir com o Centro de Formação, Assessoria e Pesquisa em Juventude, que é o nosso CAJUEIRO.  Um espaço, uma rede que articula a formação, a assessoria e a pesquisa como tarefa em vista de uma sociedade justa e fraterna, "outro mundo possível".Vamos forjando com mística, beleza, afeto, liberdade e opção clara pelos empobrecidos/as esse caminho novo.

Já estamos na Vila Romana, em Goiânia, organizados como Associação. Há um esforço de continuidade para alguns projetos (pesquisa e produção de materiais, intercâmbio, formação de lideranças, Escola de Educadores/as, formação litúrgica, formação bíblia...). Com precariedade própria deste tempo, porém com muito esforço e solidariedade. Também, continuamos a distribuição dos livros e materiais para grupo de jovens (livrariacajeiro@gmail.com ), atendendo pedidos de assessoria para municípios, grupos, organizações das Igrejas (centrocajueiro@gmail.com ). Estamos também, estudando caminhos novos para a formação, assim como revendo nosso modo de organizar.

Foram muitas doações para organizar o Espaço e plantar o Cajueiro. Alimentamos de muitas rezas e celebrações que nos animaram neste caminho. Há muitas pessoas desejosas de continuar suas contribuições com este caminho. Aqueles/as que estão neste plantio do Cajueiro e precisamos de muita gente porque a tarefa é grande. Queremos acolher para que a missão se alargue ainda mais para que o serviço prestado seja bom e alcance à juventude empobrecida, para que seja sujeito na construção de sua história.

Caso você deseja participar deste movimento de plantar este Cajueiro já temos um correio para os sócio-apoiadores/as  e esperamos o seu contato – soucajueiro@gmail.com.

Escreva-nos dizendo sobre como você deseja participar desta tarefa. Envie sugestões para que possamos organizar a buscar de sustentabilidade para a missão.

sábado, 25 de maio de 2013

Discernir o caminho da PJ é a indicação do Hilário Dick



"Após termos navegado, de muitas formas, na realidade juvenil latino-americana, muitas dores e muitos risos devem ter passado pelo nosso coração. Não há dúvida: os sofrimentos são muitos. Tantos que, até, são necessárias campanhas nacionais que enfrentem o extermínio e a violência contra a juventude... Um atestado muito triste para uma sociedade que, irresponsavelmente, não se comporta como alguém que está convidado a ser um referencial para as gerações que sonham encontrar sentido, justiça e alegria de viver! Neste barco com que visitamos as milhares de realidades juvenis não encontramos, contudo, somente dor. Percebemos que, apesar de tudo, são as juventudes que vestem de alegria o nosso continente e, também, as nossas igrejas. Isso não é um engano nem um engodo. Isso não é adulação. A juventude, na sua pura forma de ser, sempre será uma prova de que a humanidade não é chamada para a morte, mas para a vida e, por isso, ela não deixa de gritar, em todos os cantos, que “a juventude quer viver”.  Hilário Dick

Este texto é um bom material para educadores/as e jovens das coordenações.

Como enfrentar o Medo?

" A maior parte dos medos que sofremos, crianças e adultos, foi fabricada para nos roubar a curiosidade e para matar a vontade de querermos saber o que existe para além do horizonte”. 
Mia Couto

Este vídeo é uma das Conferências do Estoril (2011), na qual Mia Couto, escritor, professor, biólogo de Moçambique, reflete sobre o medo. Ele começa afirmando que o medo é um de nossos maiores mestres. “O sentimento que se criou é o seguinte: a realidade é perigosa, a natureza é traiçoeira e a humanidade é imprevisível”. Com isso, deixamos de fazer perguntas.

Ele nos provoca com algumas perguntas: Por que será a que a indústria de armas nunca está em crise?  Como criar em nós a consciência sobre a devastação silenciosa provocada pela fome no mundo que mata mais que qualquer guerra? Por estamos em tempos de guerra não precisamos de prova de coerência e de ética?

A reflexão de Mia Couto nos convida a refletir sobre a pessoa do/a educador/a para identificarmos os nossos medos construídos desde nossa infância, que nos impedem de sair dos espaços conhecidos e conhecer o contexto com novas perguntas para que a nossa ação, que está marcada pela intencionalidade de “outro mundo possível” com a juventude. Por isso, é preciso “murar o medo” para sair de nossas fronteiras.


Texto: Carmem Lucia Teixeira

quinta-feira, 23 de maio de 2013

Como trabalhar o método da Leitura Orante no Grupo?

O Método da Leitura Orante da Bíblia é um caminho que nos aproxima da Palavra. Fé e Vida é o caminho que nos convoca para o compromisso com o Projeto de Jesus e com a realidade.
O Método nos possibilita um aprofundamento da Palavra. Ele nos envolve em um caminho de conhecimento da comunidade e da juventude que dela participa.
Maria do Carmo de Oliveira é uma mulher incansável neste caminho da Igreja da Comunhão e da Participação, acompanha as CEBs e a Rede Celebra por muitos anos.
O texto é uma boa ferramenta para os grupos de jovens aprofundar a sua espiritualidade para viver uma Mística que move para as causas da construção do Reino: justiça, paz...

MÉTODO DE LEITURA ORANTE DA BÍBLIA

Projeto de Vida - uma reflexão a partir de um Filme

Organizar nossos projetos de vida é um desafio nesta sociedade que nos prende no presente. Somente interessa o hoje, o agora... Este é um caminho marcado por  artimanhas de um poder que deseja eliminar as diferenças e as originalidades da vida e de seus percursos. Por isto, parar para pensar e planejar a vida é uma revolução. Projetar a VIDA pessoal, da sociedade, do planeta...
Este material de reflexão sobre o projeto de vida pode ser utilizado no grupo, em encontros sobre o tema. E podemos construir outros. Que tal vários textos sobre o tema projeto de vida?

TEXTO SOBRE O PROJETO DE VIDA

quarta-feira, 22 de maio de 2013

Juventude Viva

Esta é a chamada para o Programa de Governo - Juventude Viva organizado pela Secretaria Nacional de Juventude. O Felipe Freitas baiano, advogado, militante dos Direitos Humanos, da Pastoral da Juventude coordena este programa.
Esta iniciativa está presente em todas as cidades com maior índice de mortalidade de juventude negra deste país. Também, nas cidades onde está sendo feito o acordo da prefeitura com a Secretaria Nacional.
Vamos participar de toda iniciativa que apoio e colabora com a Campanha Contra o Extermínio de Jovens Negros. E vamos gritar: A Juventude quer viver!

Você quer aprender as músicas do ODJ?

Este material foi preparado por José Wilson. É um material de apoio para as pessoas que tocam preparar os momentos de oração com o Ofício Divino da Juventude.
Com este material as celebrações podem ficar mais animadas e assim garantir uma maior participação.
Vocês podem fazer suas apostilas grátis e seu grupo reunir ainda mais jovens.
É, também, uma boa ferramenta para preparar as orações dos encontros, assim como, reunir na casa dos jovens com suas famílias.
Este material é uma riqueza no fortalecimento de nossa espiritualidade e do Seguimento do Mestre de Nazaré.
Bom trabalho, ajudem a divulgar para que os jovens possam cultivar sua espiritualidade e do seus grupos de jovens.
SUBSÍDIO MUSICAL - OFICIO DIVINO DA JUVENTUDE - ODJ

terça-feira, 21 de maio de 2013

Nota pública do CONJUVE contra a redução da maioridade penal


NOTA PÚBLICA SOBRE A REDUÇÃO DA MAIORIDADE PENAL E AS
PROPOSTAS DE RETROCESSOS NO ESTATUTO DA CRIANÇA E DO
ADOLESCENTE – ECA
Neste momento, em que cresce no país o debate sobre segurança pública,
combate à violência e a ampliação de direitos da juventude o Conselho Nacional de
Juventude (CONJUVE) vem a público comunicar seu repúdio à PEC 33/2012, que
propõe a redução da maioridade penal, e aos projetos de lei que retrocedem nos
direitos garantidos pelo Estatuto da Criança e do Adolescente, a exemplo das
propostas de ampliação do tempo de internação dos adolescentes em conflito com a
lei – mobilizações que estão na contramão do que vem sendo construído e
fomentado nacionalmente para jovens e adolescentes.
Este Conselho - formado por representantes do poder público e de diversos
seguimentos da sociedade civil - tem por objetivo formular diretrizes, discutir
prioridades e avaliar programas e ações governamentais voltadas aos jovens
brasileiros. O Conjuve chama atenção para a visão distorcida e preconceituosa que
tem justificado as propostas voltadas para o rebaixamento da maioridade penal,
amplamente massificada pelos principais meio de comunicação do país. As
justificativas puramente repressivas, que desconsideram a importância das políticas
sociais e de medidas de caráter preventivo condizentes com a trajetória de
desenvolvimento desses adolescentes escondem que quem tem majoritariamente
morrido pelas armas da violência são os jovens pobres e negros das cidades
brasileiras.
Nesse sentido, reafirmamos nossa convicção de que as políticas sociais
efetivas são passos essenciais para o enfrentamento da questão em pauta. O não
contingenciamento de orçamentos e a urgente ampliação dos recursos para a
efetivação do Estatuto da Criança e do Adolescente e dos projetos e ações voltadas
para a juventude delineiam o melhor caminho para assegurar direitos, gerar oportunidades e, consequentemente, diminuir a incidência de delitos e atos
infracionais.
CONTINUE LENDO A NOTA PUBLICA DO CONJUVE

domingo, 19 de maio de 2013

Projeto de Revitalização da PJ Latino Americano



Revitalizar a ação à luz das reflexões e das decisões de Aparecida esta foi uma decisão da Pastoral Juvenil do Continente. Que caminho vamos percorrer? Como seguir Jesus nos dias de hoje como discípulos missionários/as?
Um critério - a juventude como centro da ação. A vida da juventude como um caminho de discipulado e missão. Este desejo foi plantado em 2008. O caminho foi traçado até 2015. Nossa meta percorrer com a juventude um caminho com Jesus de Nazaré. Fazer o percurso de Emaús para Jerusalém. Assumir o grupo de jovem como espaço central na vida da juventude. Comunidade como lugar de salvação. Ser comunidade das testemunhas do Ressuscitado. Portanto, pessoas que não se deixa paralisar diante da morte. Gente amante e cuidadora da vida da juventude. 
Neste caminho é preciso parar em algumas cidades para entender e encontrar com o Mestre de Nazaré. O roteiro passa por Belém, Nazaré, Betânia, Samaria e Jerusalém. Claro que há muitas vilas que serão visitadas neste percurso. Nossa entrada em Jerusalém como discípulos/as é para afirmar ali naquela estrutura de morte, que assassinou Jesus e continua exterminando uma quantidade imensa de jovens neste continente que não nos deixamos derrotar. Nossa luta é pela vida, por isto, organizamos os pobres em comunidades porque assim, fortalecidos pela comunhão, pelo amor, pela experiência do encontro com o Mestre vamos continua a sua missão.
Este caminho será marcado por tempos de celebração. Oferecemos dois roteiros com 7 vivenciais, o primeiro Belém e o segundo, Nazaré. (veja nos links abaixo) Também, foram elaborados uma coleção para os grupos de jovens - Na Trilha do Grupo de Jovens - que passa por este lugares bíblicos.
Em outubro de 2012 foi lançado o marco de referência da PJ do Continente - Civilização do Amor - Projeto e Missão. 
Estes materiais estão disponíveis para os grupos de jovens.  E se deseja outros materiais escrevam para livrariacajueiro@gmail.com ou deixe seu comentário neste blog com suas sugestões.

sábado, 18 de maio de 2013

Intercâmbio Missão Aprender


Estamos em processo de preparação para acolher o Intercâmbio Missão Aprender a construir Outro Mundo possível. A reunião de hoje tratou da partilha das pesquisas dos países que participam deste momento que acontece em julho de 2013, no Brasil (Goiás, São Paulo e Rio de Janeiro).

O grupo retomou a metodologia e o sentido do intercâmbio, partilhou as experiências vivenciadas.

Esta ação do Intercâmbio está sendo organizada por três instituições - DKA, CAJUEIRO e IPJ. Envolve 8 países e várias pessoas em um esforço coletivo de construção de uma nova história.

A próxima reunião será no dia 8 de junho. Iniciando as 17h.

A DKA construiu um blog para partilha das experiências do grupo.
BLOG DE TROCA DE EXPERIÊNCIA

GRUPO NO FACEBOOK DO INTERCÂMBIO

FOTOS DA REUNIÃO

sexta-feira, 17 de maio de 2013

Formação Litúrgica em Curitiba/PR

Inicia hoje em Curitiba/PR a  formação Litúrgica na Paróquia Santo Antonio, Boa Vista em Curitiba/Paraná. A formação tem como objetivo:  proporcionar uma formação litúrgica processual para lideranças da paroquia, em  3 etapas durante o ano de 2013.
Publico:100 pessoas -  ministros/as da eucaristia, grupo de musica litúrgica e equipe de liturgia.
Assessoria está com Edina Lima Cardoso  e Marcelo Antonio Lemos.
A Paróquia é coordenada pelo freis dominicanos. Frei Claudemir que conhece o nosso trabalho nos convidou para esta formação. É um serviço que o CAJUEIRO - Centro de Formação, Assessoria e Pesquisa em juventude está oferecendo às comunidades. 

O texto base de referência para o trabalho será o livro "Em memória de mim" uma publicação que está a disposição no Cajueiro para aquelas pessoas que desejam organizar a formação litúrgica em sua comunidade.
Pedidos de livros: livrariacajueiro@gmail.com.

quinta-feira, 16 de maio de 2013

CAJUEIRO E REJU celebram a unidade dos cristãos/ãs


O que Deus exige de nós? Motivados/as por esta pergunta celebramos na sede do CAJUEIRO a oração da unidade dos cristãos/ãs. Alimentamos da Palavra - assumimos as bem-aventuranças - de modo a reconhecer o amor de Deus presente em nossa história. A memória do povo que caminha no deserto por 40 anos alimentados por uma promessa de uma terra que corre leite e mel.
Uma comunidade que assume a força da oração comum em sua história.
A parceria do CAJUEIRO com a Rede Ecumênica de Jovens - REJU convocou 20 pessoas para celebrar o amor, a amizade que constrói a comunidade. E é este espaço que dá sentido em nossas vidas.

ÁLBUM DE FOTOS DA CELEBRAÇÃO DA UNIDADE

Nota da CNBB contra a Redução da Maioridade Penal



O debate sobre a redução da maioridade penal, colocado em evidência mais uma vez pela comoção provocada por crimes bárbaros cometidos por adolescentes, conclama-nos a uma profunda reflexão sobre nossa responsabilidade no combate à violência, na promoção da cultura da vida e da paz e no cuidado e proteção das novas gerações de nosso país.
A delinquência juvenil é, antes de tudo, um aviso de que o Estado, a Sociedade e a Família não têm cumprido adequadamente seu dever de assegurar, com absoluta prioridade, os direitos da criança e do adolescente, conforme estabelece o artigo 227 da Constituição Federal. Criminalizar o adolescente com penalidades no âmbito carcerário seria maquiar a verdadeira causa do problema, desviando a atenção com respostas simplórias, inconsequentes e desastrosas para a sociedade.
A campanha sistemática de vários meios de comunicação a favor da redução da maioridade penal violenta a imagem dos adolescentes esquecendo-se de que eles são também vítimas da realidade injusta em que vivem. Eles não são os principais responsáveis pelo aumento da violência que nos assusta a todos, especialmente pelos crimes de homicídio. De acordo com a ONG Conectas Direitos Humanos, a maioria dos adolescentes internados na Fundação Casa, em São Paulo, foi detida por roubo (44,1%) e tráfico de drogas (41,8%). Já o crime de latrocínio atinge 0,9% e o de homicídio, 0,6%. É, portanto, imoral querer induzir a sociedade a olhar para o adolescente como se fosse o principal responsável pela onda de violência no país.

Reunião do grupo de pesquisa sobre a condição juvenil em Goiás

O grupo de pesquisadores/as - CAJUEIRO e UFG se reuniu hoje (16/05) para encaminhar a pesquisa que tem recursos da FAPEG. O tema central da reunião foi o aprofundamento do conceito de representação social. Flavio Sofiati professor doutor em sociologia da Faculdade de Ciências Sociais coordenou o estudo.
O seminário a ser realizado nos dias 21 e 22 de junho começa na tarde da sexta-feira, com o tema da violência, com o professor convidado Djaci, também, da FCS, na noite de sexta-feira, o tema da educação e na manhã do sábado, será tratado o tema da religião e juventude. O seminário será realizado na Faculdade de Educação. Informe em centrocajueiro@gmail.com o seu interesse em participar deste seminário.

FOTOS DA REUNIÃO_CARMEM

A pessoa do/a educador/a foi tema do encontro em Uruana/GO


A Secretaria de Educação do Município de Uruana/GO ofereceu uma formação envolvendo em torno de 100 educadores/as para o inicio da Escola de Educadores/as de Adolescentes e Jovens que acontece em seis módulos no município assessorado pelo CAJUEIRO- Centro de Formação, Assessoria e Pesquisa em Juventude.
Este primeiro módulo foi trabalhado por Carmem Lucia Teixeira e Lourival Rodrigues da Silva, ambos mestre em Ciências da Religião e especialistas em juventude, do grupo de pesquisa sobre a condição da juventude em Goiás. Valdivino Ferreira e a equipe da Secretaria de Educação coordenaram este módulo.
O temas tratados foram a história pessoal, o tema da sexualidade e gênero, as redes de relações e as influências destes temas em nossa ação educadora junto aos adolescentes e jovens. O grupo é participativo, envolve nas dinâmicas e produz boas reflexões. É um processo de construção de nova mentalidade e visão de mundo.
A atividade será certificada como extensão pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás/ PUC.
Identificar as nossas histórias, escutar as memórias como grupos nos aproxima como pessoas, também, podemos dizer que esta revisão de vida nos capacita para o exercício de nossa profissão, disseram as participantes na avaliação do primeiro módulo.

fotos do I MODULO - A PESSOA DO/A EDUCADOR/A

segunda-feira, 13 de maio de 2013

Pesquisa sobre a Condição Juvenil em Goiás: Seminário

O Programa de Pesquisa é uma atividade do CAJUEIRO em parceria com a Universidade Federal de Goiás, Faculdade de Educação. O grupo de pesquisa está organizado por pesquisadores de várias áreas do conhecimento.
As atividades do primeiro semestre:
11 de abril - organização da pesquisa e organização do Seminário.
16 de maio - juventude e representação social
21 e 22 de junho - Seminário sobre Juventude: Educação, Religião e Violência - acontece na faculdade de Educação. As inscrições podem ser feitas pelo correio - centrocajueiro@gmail.com.
Já temos confirmado presença de vários pesquisadores/as dos temas.

Escola de Educadores/as de Adolescentes e Jovens no município de Uruana/Goiás


Inicia no dia 15 de maio, quarta feira, a Escola de Educadores/as de Adolescentes e Jovens no município de Uruana/GO. É parte do programa de formação do Secretário de Educação Waldivino Ferreira. A Escola será realizada em 6 módulos presencial. Haverá algumas horas que serão de estudo entre os módulos.

15/05/2013
4ª feira
1º módulo: A pessoa do (a) educador (a) – Carmem/Lourival
28/06/2013
6ª feira
2º módulo: Os (as) adolescentes e jovens –  Lourival
30/08/2013
6ª feira
3º módulo: O processo de formação grupal e suas dimensões – Graça e Marcelo
27/09/2013
6ª feira
4º módulo: A construção da utopia e o papel da assessoria – Berg/Carmem
22/10/2013
3ª feira
5º módulo: A metodologia do acompanhamento de grupos – kelly/Graça
 29/11/2013
6ª feira
6º módulo: O planejamento da ação – Carmem/Lourival

Obs: As pessoas interessadas no projeto poderão adquirir o material através de livrariacajueiro@gmail.com.  A proposta está sistematizada em um livro que pode ser adquirido pelo valor de R$12,00 mas as despesas de correio.

Semana de oração pela Unidade dos Cristãos/ãs: O que Deus exige de Nós?


A Semana da Oração para a Unidade dos Cristãos/ãs será realizada dos dias 12 a 19 de maio. Ela é realizada primeiro no hemisfério norte desde 1908.
O roteiro para celebrar a Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos/ãs
Roteiro para celebrar a Semana de Oração pela Unidade
O CAJUEIRO está celebrando em sintonia com o movimento ecumênico.
Programa
domingo dia 12 - Igreja Anglicana
3a feira  dia 14 - Centro Pastoral D. Antonio
4a feira  dia 15 - Centro Loyola de Fé e Cultura
5a feira  dia 16 - Cajueiro - Centro de Formação, Assessoria e Pesquisa em Juventude e REJU.
6a feira dia 17 -
sábado dia 18 -Associação das Famílias
Domingo - dia 19 - Igreja Luterana


sexta-feira, 10 de maio de 2013

Começar de novo e poder contar com tantas pessoas

O Centro de formação, Assessoria e Pesquisa está em sua fase de construir o seu espaço, plantar CAJUEIRO. Dia 11 de maio, celebração de abertura deste espaço. Creio que a música de Ivan Lins pode ser a trilha sonora deste momento.
Começar de novo. O novo começo e sempre a novidade para muitos de nós que vivemos boa parte de nossas vidas dedicado à juventude empobrecida.  Esse começo com doses de esperança, desejos de um caminhar no serviço à vida e a vida em abundância.
Começar em tempos de celebrar a vida das mães. A maioria das nossas mulheres com capacidade de administrar uma casa, alimentar os filhos/as e educar para valores que nos fizeram pessoas.
Este tempo do novo, da novidade do espaço que gera vida.
Espaço para o diálogo.
Espaço para a amizade...
Espaço que faz gerar partilha... tanta gente, tanto apoio... somos eternamente gratos/as

fotos da organização do espaço

quarta-feira, 8 de maio de 2013

A casa dos pobres




Desde Betânia, ser ‘casa dos pobres’ em cada grupo de jovens
“Cada vez que fizerdes algo a um destes meus irmãos mais pequeninos, a mim o fizestes”. (Mt 25,40)
Com a juventude, com Jesus de Nazaré e com seus/as amigos/as estamos em Betânia. Betânia no tempo de Jesus e em nosso caminho rumo à Jerusalém é Casa dos/as pobres. E sobre ser Casa dos/as pobres que desejamos conversar neste mês em que, como Igreja Jovem no Brasil – Pastorais da Juventude – celebramos a Semana da Cidadania, defendendo a vida da juventude, contra a redução da maioridade penal e como Igreja Jovem Latino-Americana estamos revitalizando nossa atuação e presença com a meninada.
Pe Paulo Botas, mtf, na reflexão que faz sobre Betânia em subsídio publicado pelo grupo Marista e Casa da Juventude do Paraná (Betânia: o Amor aniquilou o pecado) nos diz que “Betânia, segundo uma etimologia popular, significaria ‘a casa do pobre’, ou a ‘casa da carestia/miséria’ (bet/anyia) e, ainda, ‘casa das tâmaras’ (Bêt-hînî). Em Betânia, do outro lado do Jordão, foi o lugar onde João estava batizando (Jo 1,28) e tudo leva a crer que foi neste lugar que João identifica Jesus como Cordeiro de Deus.”
Betânia foi pra Jesus em seu tempo e continua a ser hoje pros/as jovens latinos/as e caribenhos/as a Casa dos/as pobres. Mas, o que significa isso? Casa dos/as pobres é casa da acolhida incondicional, de cuidado, de partilha, de confraternização, de abraço, de afago, de carinho, de sorriso, de bem-viver, de bem-quer... Casa dos pobres é casa que se faz acolhida e cuidado. Casa dos pobres é casa de encontro, de memória, de partida, de chegada... Casa dos pobres é casa de amor gratuito e até as últimas consequências...
O profeta Isaías convida-nos a "alargar o espaço de tua tenda, estender tuas lonas, alongar as tuas cordas e reforçar as estacas" (Is 54,2). Ele convida-nos a ser Betânia. Ele convida-nos a ser casa dos pobres.
Em tempos de caminho rumo à Jerusalém e de revitalização da ação com a juventude em nosso chão latino-americano e caribenho somos chamados/as a ser Casa dos Pobres. As Pastorais da Juventude também são chamadas a ser Casa dos Pobres para a meninada. Compreendendo isso, a PJ tem o grupo de jovens como centro de sua ação evangelizadora assumindo como opção pedagógica, eclesial, teológica e bíblica central em sua prática. O grupo de jovens é a concretização do compromisso com os/as jovens de ser casa dos pobres. Sem o grupo de jovens a PJ deixa de ser PJ. Sem o grupo a Pastoral da Juventude fracassa no compromisso com os/as jovens e com o seguimento de Jesus. O dia em que não haver mais grupo de jovens não haverá mais a Pastoral da Juventude.
À luz de Betânia e do caminho pra Jerusalém como podemos fortalecer os grupos de jovens em nossos países, cidades, comunidades? Quais as estratégias e meios para fortalecermos esse lugar central da ação com a juventude? Como transformar ou intensificar nossa vivência grupal para ser verdadeiramente e profundamente casa e lugar dos pobres?
Jesus manifestou predileção pelos pobres. Negar isso é negar a essência do cristianismo. Nos diz Gustavo Gutiérrez: “Digamo-lo com clareza: a razão última dessa opção está no Deus em quem cremos. (...) Trata-se, para o crente, de uma opção teocêntrica, baseada em Deus". Inspirados por essa mesma opção de Jesus de Nazaré é que os nossos grupos devem ser “casa dos pobres”, devem ser “betânias” de acolhida, de amor, de fidelidade ao Reino. Pensemos em nossos grupos, como isso poderá acontecer melhor? Sejamos ousados e profundos. Não nos contentemos com mesmices.
Desde Betânia, sintamos o perfume da ‘casa dos pobres’, tantas vezes horrendo, malcheiroso e fétido, que exige radicalidade e opção de nossos grupos de jovens.
Pe. Maicon André Malacarne – Assessor da PJ na Diocese de Erexim/RS
Luis Duarte Vieira – Militante da PJ e noviço admitido à Companhia de Jesus

foto - imagens do google.

terça-feira, 7 de maio de 2013

Ir. Petra da coordenação nacional da Pastoral Carcerária recomenda blog sobre Juventude encarcerada

O blog Por trás do Muro com três aspectos - denúncias, promessas e deu certo. O blog é uma fonte para acompanhar as situações da juventude encarceradas no Brasil.
No Seminário Nacional da Campanha Contra o Extermínio de Jovens um dos Horizontes da Campanha foi a juventude encarcerada.
Hoje os dados revelam que são jovens, de baixa escolaridade, negra e, em sua maioria por dano ao patrimônio. Precisamos conhecer esta realidade e entender as causas.
Fazer perguntas sobre as políticas públicas de juventude e, perguntar sobre o isolamento, sobre a prisão. Quando foi que a humanidade criou as prisões? Qual é a função da prisão neste sistema neoliberal? Quem está preso? Por que a maioria dos encarcerados são pobres, negros, com pouca escolaridade?

veja lo link do blog
Por Trás do Muro

Sou CAJUEIRO!



Políticas Públicas da Juventude é debatido no encontro de Fé e Política da Diocese de Goiás

O tema das Políticas Públicas da Juventude foi tratado como tema central do Encontro de Fé e Política que acontece a cada ano na Diocese de Goiás. Neste ano Severine Macedo, Secretária Nacional da Juventude foi a convidada para debater o tema. Ela tem uma trajetória na Pastoral da Juventude do Sul do país.
O Encontro reuniu várias lideranças da diocese assim como, prefeitos, vereadores e também assessores/as. Esta ação está inserida dentro da Comissão Sócio-transformadora e da Pastoral da Juventude.
O tema da juventude é central para a ação evangelizadora da Diocese e da Igreja do Brasil neste ano de 2013.
O CAJUEIRO Centro de formação, assessoria e pesquisa em juventude esteve presente nesta ação. Acompanha a formação das políticas públicas da juventude na diocese.
album_fotos produzidas por Kátia e João Denes

segunda-feira, 6 de maio de 2013

Tempo de organizar o espaço CAJUEIRO


Estamos organizando o espaço onde será a sede do Centro de Formação, Assessoria e Pesquisa em Juventude. Este espaço é um esforço de muitas pessoas que desejam  contribuir com um serviço que gere vida e vida em abundância para todos/as.
Desejamos que o espaço seja para todos/as. Lugar de partilha e de alegria; de serviço e de celebração; de dedicação e de descobertas para a vida, com atenção à vida da juventude.
Somos gratos a tantas pessoas que estão entrando nesta ciranda de vida.
No dia 11 de maio, vamos nos encontrar para celebrar e partilhar o que temos para construir o Chá Solidário para a montagem do Espaço CAJUEIRO.
Participe deste mutirão e deste esforço coletivo.
algumas fotos _ mutirão

Seminário Nacional da Campanha contra o Extermínio faz memória dos/as jovens


O Seminário reuniu pessoas de todo país. Jovens e adultos/as, religiosos/as e leigos/as que aprofundaram os caminhos para fazer a defesa da vida da juventude e garantir os seus direitos. Um tempo para celebrar o caminho feito da Campanha que iniciou em 2009. Hoje, a campanha, já se tornou uma política de Governo com a presença de Felipe Freitas no "Juventude Viva" que foi apresentado por ele e pela secretária de juventude do Governo Federal Severine. Tanto Severine, como Felipe Freitas tem uma trajetória na Pastoral da Juventude. O que revela avanço dos compromissos assumidos pela Pastoral da Juventude neste processo porque forma lideranças comprometidas com a vida e vida em abundância. E continuam fazendo ações de "pastoral" porque estão em espaços que cuidam da vida da juventude, como nos ensina o Mestre de Nazaré.
Também, estiveram no Seminário Nacional, Nilmário Miranda, hoje deputado federal por Minas, militante dos Direitos Humanos, Daniel Seidel, primeiro secretário Nacional da PJ, hoje Secretário de Estado do Distrito Federal. Padre Toninho da comissão da Juventude da CBBB, Padre Geraldo da dimensão Política  da CNBB também, passaram pelo Seminário e marcaram presença.
José Ivaldo falou em nome da Rede Brasileira de Centros e Institutos de Juventude. Carmem Lucia Teixeira esteve na assessoria.
O CAJUEIRO marcou presença neste seminário apoiando a sua organização, acolhendo o povo, assessorando o Seminário. Neste espaço renovamos o nosso compromisso com a Campanha a Juventude quer viver, basta de extermínio de Jovens.
O Seminário apresentou 6 horizontes para trabalhar a Campanha - a violência, a redução da maioridade penal, o encarceramento, o tráfico humano, as drogas e a questão da política de segurança pública. Estes horizontes foram debatidos em oficinas e construído, primeiro a situação e os desafios e posteriormente as respostas de ação que necessitam ser implementadas nos vários âmbitos da Pastoral da Juventude.
Estiveram presente no seminário vários parceiros nesta luta pela vida da juventude.
A equipe que coordena o Projeto a Juventude quer viver está encarregada de elaborar uma síntese e enviar para os participantes.
O Seminário foi regado de mística - momentos de espiritualidades - que foram assumidos pelos participantes como ponto forte da caminhada.Na celebração de envio recebemos a terra do lugar onde Padre Gisley Azevedo foi assassinado. O grupo renovou o compromisso com a campanha e com a defesa da vida. Junto com a terra que recebemos estava também sementes de sempre viva do Cerrado.
álbum de fotos_Carmem

notícias na página da PJ



sexta-feira, 3 de maio de 2013

Seminário da Campanha Nacional Contra a Violência e o Extermínio de Jovens



A Pastoral da Juventude (PJ) realiza, de 03 a 05 de maio, no Colégio Marista Champagnat, em Taguatinga (DF), o Seminário da Campanha Nacional Contra a Violência e Extermínio de Jovens em todo o território brasileiro. A atividade reúne, aproximadamente, 200 jovens do Brasil e tem por objetivo criar espaço de conscientização e formação de agentes multiplicadores.

Os dias do seminário são dedicados ao aprofundamento e formação dos jovens em diversos temas acerca do extermínio e violência juvenil, dentre eles: redução da maioridade penal, segurança pública, educação, trabalho, violência e uso de drogas, aprisionamento e cárcere, tráfico humano: prostituição e trabalho escravo.

O secretário nacional da Pastoral da Juventude, Thiesco Crisóstomo, destaca o seminário como importante passo da PJ na construção da campanha e no enfrentamento da violência contra a juventude no Brasil. “Queremos dar força a temas específicos como a redução da maioridade penal, o tráfico humano e as medidas socioeducativas. Dialogar diretamente com os jovens que constroem o dia a dia da Campanha, nos municípios e estados, além dos parceiros firmados ao longo destes quatro anos”, afirmou Crisóstomo.

A atividade tem ainda como objetivos específicos o engajamento e fortalecimento dos grupos de base para a Campanha Nacional contra violência e o extermínio de jovens; o estabelecimento de diálogo entre os jovens da Pastoral da Juventude com outros atores envolvidos na temática da violência contra a juventude; o fomento da juventude e a comunidade, para que se tornem aptos em continuar os trabalhos para a realização dos objetivos do Seminário; a potencialização da ação realizada pelos jovens multiplicadores como agentes de mudança da realidade de violência em que estão inseridos; e a capacitação técnica e metodológica para um processo qualificado de construção de ações para vida plena da juventude.

Continuar lendo...

quinta-feira, 2 de maio de 2013

1o encontro de preparação para o Intercâmbio Missão Aprender

O Intercâmbio Missão Aprender é uma atividade em parceria - Cajueiro, IPJ e DKA. Estas três instituições organizam em 2013 o encontro que envolverá 9 países. Dia 1 de maio, aconteceu o primeiro encontro da etapa de Goiás que será do dia 1 ao dia 12 de julho.
No encontro foi repassado o programa que será desenvolvido. Também, o grupo se organizou para um maior conhecimento da realidade dos outros países que irão participar.
Ronan que esteve na Áustria também, passou algumas informações, além das recomendações das pessoas já conhecidas do grupo.
O próximo encontro já está marcado para o dia 18 de maio. Iniciará as 17 horas.
Álbum_fotos Carmem

quarta-feira, 1 de maio de 2013

Razões para NÃO reduzir a maioridade penal


Texto publicado em Adital de Vinícios Bocato, jovem estudante de Jornalismo

Ao contrário do que é veiculado, reduzir a maioridade penal não é a tendência do movimento internacional
Tenho visto muitos textos afirmando que o Brasil é um dos raros países que estipulou a maioridade penal em 18 anos. Tulio Kahn, doutor em ciência política pela USP, contesta esses dados. "O argumento da universalidade da punição legal aos menores de 18 anos, além de precário como justificativa, é empiricamente falso. Dados da ONU, que realiza a cada quatro anos a pesquisaCrime Trends(Tendências do Crime), revelam que são minoria os países que definem o adulto como pessoa menor de 18 anos e que a maior parte destes é composta por países que não asseguram os direitos básicos da cidadania aos seus jovens.”
Ainda segundo a Unicef "de 53 países, sem contar o Brasil, temos que 42 deles (79%) adotam a maioridade penal aos 18 anos ou mais. Esta fixação majoritária decorre das recomendações internacionais que sugerem a existência de um sistema de justiça especializado para julgar, processar e responsabilizar autores de delitos abaixo dos 18 anos. Em outras palavras, no mundo todo a tendência é a implantação de legislações e justiças especializadas para os menores de 18 anos, como é o caso brasileiro.”
O que pode estar acontecendo na grande mídia é uma confusão conceitual pelo fato de muitos países usarem a expressão penal para tratar da responsabilidade especial que incide sobre os adolescentes até os 18 anos. "Países como Alemanha, Espanha e França possuem idades de inicio da responsabilidade penal juvenil aos 14, 12 e 13 anos. No caso brasileiro tem inicio a mesma responsabilidade aos 12 anos de idade. A diferença é que no Direito Brasileiro, nem a Constituição Federal nem o ECA mencionam a expressão penal para designar a responsabilidade que se atribui aos adolescentes a partir dos 12 anos de idade”.