quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

"Minhas causas valem mais do que minha vida"


 O CD Povo e Poesia foi um presente para o Centro de Juventude Cajueiro do nosso Amigo Cajueiro Tony da Irmandade dos Mártires. Este CD traz 15 poesias. Quem tiver interesse em conhecer mais pode acessar www.pedropovoepoesia.blogspot.com.br para saber mais sobre o CD e o poemas.

Luis Paiva escreve que Pedro é um desses "santos e heróis", não tão conhecido, e nem tão homenageado como merecia. [...] Poeta e revolucionário. Pastor dos/as negros/as e indígenas. Cinco vezes réu em processo de expulsão do Brasil e frequentemente ameaçado de morte. 
Este CD quer reafirmar as causas de Pedro: Reforma Agrária, fim do trabalho escravo, uma Igreja mais fraterna, garantia de direitos dos povos indígenas e proteção ao meio ambiente.

segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

Celebrar 10 anos de Ofício Divino da Juventude

O Ofício Divino da Juventude (ODJ) é um instrumento de oração, inspirado no Ofício Divino das Comunidades. Traz consigo a herança das comunidades cristãs de fazer orações pela manhã e pela tarde, valorizando a cultura e o jeito do povo falar com Deus, com atenção à Vida e a Bíblia como realidades, nas quais o Senhor, Criador da Vida, revela-se.

O ODJ já foi utilizado em várias celebrações, encontros dos jovens. O Ofício das Comunidades e da Juventude nasceu ecumênico.

O ODJ  quer ser para a juventude um jeito profundo e gostoso de celebrar a fé e a vida no Deus que nos cria e recria todos os dias.

A 6a Edição está pronta. Ela é comemorativa dos 40 anos da PJ. Nesta publicação chegamos a 80 mil exemplares. Se a sua comunidade, seu grupo, sua congregação precisa de um material para celebrar, cantar...

Você pode participar da celebração dos 10 anos. Escreva a sua história e do seu grupo a partir do uso do Ofício. Nós vamos publicar aqui as histórias aqui em nosso blog você pode colaborar contando as histórias?

Se você,  deseja adquirir o seu exemplar do Ofício Divino da Juventude, faça a sua encomenda para o

correio eletrônico livraria@cajueiro.org.br. Até 30 exemplares o valor é de R$ 5,00 reais a unidade. Os pedidos acima de 30 exemplares o valor unitário de R$ 4,00 reais e também, o valor do transporte.

Ao solicitar os pedidos envie o número do CEP, endereço completo para se calculado o valor total.


Projetar a vida para romper com a prisão do presentismo deste sistema


Projeto Pessoal de Vida

"Basta ser sincero e desejar profundo, você capaz de sacudir o mundo!" Raul Seixas

          Cono organizar nossa vida de modo que possamos ser gente feliz e ajudar outras pessoas a serem, também felizes? Como dizia um poeta popular - Gentileza gera gentiliza!

          Não tenhamos dúvidas de que a nossa vida é um dom precioso e dela temos que cuidar. Somos seres raros, preciosos, nos quais o universo investiu bilhões e bilhões de anos para que pudéssemos existir. Cuidar desta riqueza é viver bem, é organizar a vida para sermos felizes. Mas o ser humano diferente das outras espécies , pressupõe ter um sentido para a vida, ter uma causa pela qual se possa lutar, uma razão para manter-se vivo e viva.

         Você é nosso/a convidado/ a sonhar com "outro mundo possível". Cuidando de você mesma e do seu projeto pessoal, você poderá cuidar das pessoas e do mundo à sua volta: sua família, seus amigos, seus colegas, seu namorado/a, sua casa, seu quarto... Cuidar da terra: o ar, a água, as plantas, os animais e tudo que nela habita. Riqueza é isto: as pessoas, o planeta e não o dinheiro como muita gente pensa que é. O dinheiro é só representação da riqueza. Vamos nos educar para a indignação frente à injustiça, pra a comunicação da cultura de paz, para a contemplação do belo que nos envolve e para a gratuidade escancarada de Deus para conosco.

Chegou a hora! Esta proposta começa de forma pessoal e depois, nem processo, se tornam coletiva. Você é convidado/a  a refletir, organizar e elaborar vários aspectos da sua vida, para melhor realizar-la. Oferecemos este instrumento, um roteiro para o seu Projeto Pessoal de Vida. Estamos à sua disposição para refletir, junto com você, o que desejar partilhar, basta combinar!

O livreto de bolso - Projeto de Vida, encontra-se disponível para venda na Livraria Cajueiro. O valor unitário está orçado em R$ 1,00 (um real).

Os pedidos poderão ser feitos através dos seguintes contatos: 

E-mail: livraria@cajueiro.org.br

Telefone: + 55 (62) 8285-4436 (Tim)
8631-8557 (Oi)
9422-6625 (Claro)
    9957-2949 (Vivo) 

sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

Vamos para África



A decisão de partir é da Edina, porém, claro que vamos todos/as juntos/as nesta missão. Agora estamos presente em dois países porque temos uma amiga/irmã/companheira  naquele continente que sempre fez e faz parte de nossa história.

Edina Lima Cardoso nos aproxima ainda mais do Continente Africano. Ela assumiu nestes próximos três anos realizar juntamente com a Congregação da Sagrada Família a missão de  viver com o povo em Moçambique. Claro que ela não vai só, ela não anda só, vamos juntos/as e ela fica conosco em nossa missão.

Edina parte por opção e desejo de viver nestas terras. É uma volta depois de centenas de anos de todos/as que fomos forçados a vir para este continente e aqui fomos escravizados/as, torturados/as e condenados/as ao empobrecimento. Se olharmos para a realidade de nosso país vamos encontrar o povo que veio da África nas situações de empobrecimento. Se apuramos ainda mais o olhar, vamos encontrar nos índices de analfabetos/as, dos assassinados em idade entre 15 e 24 anos, dos que estão encarcerados/as, dos que estão morando em morros e periferias, dos que estão fora da universidade... ali encontramos os descendentes do povo africano.

Ir em missão significa encontrar-se com esta história. Encontrar-se com um continente que vive todas as situações de exclusão do capitalismo. A África não faz parte do mapa dos incluídos do sistema, por esta razão, abandonados a própria sorte. Ou, ainda, usados para despejos das armas, por isto, o sistema alimenta guerras entre grupos.Assumir viver neste lugar é colocar uma "cunha" no sistema ou abrir um fissura para o seu fim.

Ir em missão é compartilhar desta riqueza milenar da humanidade que encontramos na África. Ali nasce a experiência do povo da Bíblia, ou outras trajetórias que por ali a humanidade ensaiou e, viver neste chão, será poder caminhar em terras sagradas por tantas histórias.

Esta experiência que vamos acompanhar através da Edina também, nos tornará mais próximos dos/as empobrecidos/as da terra. Com certeza a Edina compartilhará conosco, músicas, experiências vividas, fotos do povo... Vamos esperar para viver juntos/as e refazer nossas histórias e opções.

Neste momento, desejamos a Edina uma boa viagem. Dizer que estamos juntos/as na missão.

Carmem Lucia Teixeira

quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

Na beira de um poço – Em Samaria!




mantra - letra
mantra-música
Texto_samaria1
“Cansado da viagem, Jesus sentou-se junto ao poço.
Era quase meio-dia.”
[João 4,6]
“Você tem sede de quê? Você tem fome de quê? A gente quer a vida...Como a vida quer!”
[Titãs]

Chegamos a Samaria. Nós, Pastorais da Juventude – Igreja Jovem do Continente Latino, estamos sempre a caminho. É que o seguimento de Jesus e o serviço à juventude não nos deixa parar. Nosso destino é a doação máxima da vida, com Jesus, em Jerusalém. O caminho para Jerusalém vai se fazendo. Guiados pela estrela vivemos Belém. Calçando sandálias de amor, de doação, de serviço e de seguimento percorremos Nazaré. Ungidos pelos perfumes da juventude desbravamos Betânia. E, de repente, em nosso caminho de serviço à juventude na América Latina nos deparamos com um poço. E na beira desse poço viveremos este ano que se inicia.

Samaria estava a mais de 100 km de Jerusalém. Tornou-se a capital do Reino do Norte até a sua destruição. Era uma região montanhosa. Elaine Neuenfeldt nos ajuda a compreender o impasse que existia há muito tempo entre Judeus e Samaritanos: “O conflito é de origem étnico-religiosa, com consequências sociais e políticas. No Antigo Testamento, recebemos a informação histórica sobre as causas do conflito. As pessoas samaritanas são remanescentes de um processo de colonização promovido pela dominação assíria, que trazia pessoas de outras regiões colonizadas e as misturava com os habitantes locais. Tal processo gerou reações de desprezo e rivalidades entre aquelas pessoas que se consideram "legítimos filhos de Israel" e aquelas que são "misturadas". Podemos encontrar estes relatos em 2 Reis 17,24-31, Eclesiástico 50,26 e Esdras 4,2-9. Esta carga histórica de rivalidade e conflito está presente na memória das pessoas que guardam o relato do encontro de Jesus com a samaritana como testemunho de sua fé. A afirmação de que Jesus, para chegar até seu destino, precisa passar pela Samaria, desencadeia estas lembranças na memória. Repetir o que já é conhecido, em situações conflituosas, pode ter esta função: verbalizar para provocar a reflexão. Neste contexto de conflito, o encontro e o diálogo entre Jesus e a samaritana rompem barreiras étnico-geográficas. Ela é mulher e é samaritana. Sua condição de gênero impede que converse com um homem em lugar público e, especialmente, perto do poço (no imaginário daqueles grupos, o poço é um lugar mítico, simbólico da erótica, relacionamento amoroso - Gênesis 24 e 29; Êxodo 2,11-22). Sua pertença a um povo resulta em problemas para estabelecer relações de amizade e confiança, de ajuda e solidariedade com alguém do povo inimigo.”

É um caminho conflituoso por natureza. Na prática, ação, palavras de Jesus e da Samaritana/dos Samaritanos o Reino acontece. A fronteira entre Judeus e Samaritanos é rompida através dos encontros de Jesus com estes. Já no início desse caminho a Samaria poderíamos nos perguntar: que conflitos temos vivido como jovens? Nos grupos de jovens? Que encontros são necessários para superar os desencontros que nos dividem?

Na Samaria de Jesus e nas “Samarias” da juventude, à beira do poço, percorreremos um caminho. Um caminho de saborear o mistério da gratidão. De pisar, tocar nas “Samarias” de hoje. Indagar-nos sobre qual postura e atitude de vida assumimos no serviço à juventude, em especial àquela ferida na beira de tantos “poços” em nosso Continente. De dialogar sobre os/as samaritanos/as de hoje. Um caminho de descobrir algo já sabido, sempre velho e sempre novo: a compaixão. Um caminho de pedir água às juventudes e de provocar-nos a perguntar sobre qual “água” temos buscado. Um caminho de diálogo sobre a espiritualidade juvenil e a espiritualidade da Pastoral da Juventude. Um caminho de re-aprender a escuta, como caminho de acompanhamento que gera autonomia. Um caminho de encontro com Jesus,
na beira do poço, e desse encontro sermos cada vez mais nós mesmos. Um caminho de retomarmos nossas histórias de vida. Um caminho que iremos descobrindo à medida que formos vivendo.


Neste mês de Janeiro o sentar-se na beira do poço, com as juventudes de nosso Continente, tem muito sabores, marcas, sentimentos, esperanças e causas. Com as Comunidades Eclesiais de Base do Brasil celebramos o 13º Interclesial. Momento de reafirmar a opção pela profecia e pela justiça desde as nossas comunidades. Vivemos com a Pastora da Juventude do Meio Popular o 4° Congresso Nacional, que teve como tema “PJMP: Terra fértil, canto forte" e lema "Sem arriscar não vivemos a esperança". Congresso que celebra os seus 35 anos. Vivemos com a Pastoral da Juventude Rural (PJR) o III Congresso da Juventude Camponesa. Com a Pastoral da Juventude Estudantil (PJE) vivemos a XV Assembléia Nacional. E com a Pastoral da Juventude (PJ) encerramos a celebração dos 40 anos com a Ampliada Nacional da PJ de Belo Horizonte. Quanta coisa bonita! Quantos sinais do Reino de Deus! Quantos encontros superando desencontros! Igreja-jovem! Planos sendo construídos, projetos avaliados, horizonte sendo cada vez mais clareados!

Sentar-se na beira desse poço nesse mês também tem sabor de gratidão. Sim, de gratidão! É que o nosso Thiesco, depois de três anos de doação da vida como secretário nacional da PJ, deixa esse serviço. O caminho para Jerusalém só pode ser trilhado nos passos de Jesus e com esperança, ternura e utopia. E essas três palavras marcam muito a vida de nosso irmão, pois, ele as vive e as viveu nesse tempo de serviço. A ele, em nome da Igreja Jovem do Continente, nosso apertado abraço de gratidão e amizade pela doação de sua vida.


O caminho por Samaria apenas começa. Muito viveremos juntos/as nesse tempo e nesse caminho. Um caminho que faremos na beira do poço. Na beira do poço, sentados com Jesus e com os/as jovens de nosso Continente. A arte, o canto, a poesia..., são dos elementos que mais traduzem nossos sentimentos nas Pastorais da Juventude. A partir desse ano, junto com a gente passa a caminhar ajudando nessa construção o jovem Catarinense de Chapecó e morador de Curitiba/PR: Cladilson Nardino. Com a inspiração dele, cantaremos mantras a cada mês. Mantras inspirados em cada texto nesse caminho. Pra se cantar nos grupos, pessoalmente, nas comunidades... ajudando assim nesse vivenciar e saborear a Samaria. O Mantra sempre será a conclusão dos nossos textos. Bem-vindo nosso irmão!

Com os baldes nas mãos, buscando a água da vida da juventude que nos enche de Deus, iniciamos esse caminho.

Mantra:
“Caminhamos de Belém pra Samaria...
Na beira de um poço cheio de água e vida
Repleto de esperança, ternura e utopia
Buscamos em nossos baldes, justiça e profecia.
Repleto de esperança, ternura e utopia
Buscamos em nossos baldes, justiça e profecia.”

Cladilson Nardino, estudante de Eng. Civil, membro da coordenação arquidiocesana da PJ de Curitiba/PR
Luis Duarte Vieira – Noviço Jesuíta e Militante da Pastoral da Juventude
Maicon André Malacarne – Padre, assessor da Pastoral da Juventude da Diocese de Erexim/RS

terça-feira, 21 de janeiro de 2014

A JUVENTUDE QUER VIVER: Condição Juvenil e Redes de Proteção

1.       




Organizadores: Carmem Lucia Teixeira, Lourival Rodrigues da Silva, Miriam Fábia Alves

O que é ser jovem hoje? Essa pergunta respondida por adultos/as pode ser uma ação investigativa que envolve vários processos. Processo estes que nem sempre conseguem traduzir a totalidade da juventude com suas realidades e subjetividade. Foi esta inquietação que levou um grupo de pesquisadores/as a olhar sobre as questões que envolvem a juventude hoje.

 
O livro faz parte da coleção Perspectivas Juvenis e traz o resultado da pesquisa sobre o que dizem os jovens sobre violência, produções acadêmicas sobre juventude, o discursos dos jovens sobre a campanha a juventude quer viver.

Apresentar a metodologia e as possibilidades juvenis para refletir e falar sobre seu modo de viver hoje frente aos desafios da violência.

Por fim apresenta uma reflexão sobre a rede de proteção a juventude e aponta algumas recomendações sobre as políticas públicas de juventude.

O livro é fruto de uma pesquisa apoiada pela Fundação de Amparo a Pesquisa em Goiás.

O livro com 161 páginas.

O livroJuventude quer viver, encontra-se disponível para venda na Livraria Cajueiro. O valor unitário está orçado em R$ 12,00 (doze reais).

Os pedidos poderão ser feitos através dos seguintes contatos: 

E-mail: livraria@cajueiro.org.br

Telefone: + 55 (62) 8285-4436 (Tim)
8631-8557 (Oi)
9422-6625 (Claro)
    9957-2949 (Vivo) 



segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

VISIBILIDADES JUVENIS

       



Organização: Hilário Dick, SJ e Lourival Rodrigues da Silva

Por que estudar a juventude? Porque estão no limiar e no tempo de experimentação, para criar e dar suporte a redes de proteção em tempo de construção de direitos, projetos de vida, e dar legitimidade aos processos educativos/socializadores da juventude.

Este livro faz parte da coleção Perspectivas Juvenis, traz uma coletânea de artigos sobre juventude construídos por egressos da Pós-graduação latu sensu “Juventude no Mundo Contemporâneo”.

Os textos foram agrupados nas temáticas da participação, sociedade, educação, sexualidade e negritude. Os artigos tratam das seguintes temáticas:

Corpos (Re)Existem: Juventudes e Africanidades, Juventude Negra: Construção de Identidade e Ações Afirmativas. A Presença das Rappers Negras no Movimento Hip Hop no Brasil e em Goiás, Novos Canais de Participação Juvenil no Brasil Contemporâneo. Juventude Cristã, os Sentidos e Valores Atribuídos a sua Atuação Social. História Da Juventude: Aspectos Teórico-Metodológicos, Abordagem Midiática Sobrea Violência Policial Contra Jovens.

O Mundo Juvenil e Projeto de Vida, Vivência Grupal nas Escolas Públicas - Reflexões a Partir do Projeto Elos: Educação Cidadã, Caminho Para Uma Cultura de Paz. Pedagogía de la juventud. Propuestas para la enseñanza y el aprendizaje de adolescentes y jóvenes. Linguagem verbal da juventude no brasil, nas últimas décadas: Lacunas e contribuições. Vivência da Sexualidade - Desafios Enfrentados pela Juventude.

O livro foi publicado com a verba dos projetos destinados a pós-graduação – Adveniat.

O livro tem 232 páginas.


domingo, 19 de janeiro de 2014

JUVENTUDE CATÓLICA: O novo discurso da Teologia da Libertação

1.       



Autor - Flávio Munhoz Sofiati

Este livro é uma vasta documentação, ele aborda um objeto até agora pouco estudado pelas ciências sociais no Brasil: a formação e o desenvolvimento da Pastoral da Juventude, de sua pedagogia e de suas opções políticas.

Flávio Sofiati demonstra, de forma convincente, que este objeto «sócio-religioso» não pode ser compreendido fora do contexto maior que é a evolução da Igreja no Brasil e o surgimento da teologia da libertação.

Na verdade, esta teologia profundamente inovadora é apenas a ponta visível do iceberg, a expressão cultural de um vasto movimento social que aparece no Brasil desde o começo dos anos 60 – bem antes da aparição dos primeiros livros dos teólogos da libertação. Este movimento inclui setores significativos do clero - padres, freiras, ordens religiosas, bispos – dos movimentos religiosos leigos, como a Ação Católica, a JUC, a JOC, das comissões pastorais - como Justiça e Paz, Pastoral da Terra, Pastoral Operária, Pastoral da Juventude - e das comunidades eclesiais de base (CEBs).

A Pastoral da Juventude, com suas características próprias, analisadas de forma precisa por Flavio Sofiati, é uma das manifestações deste cristianismo da libertação – provavelmente, mais sensível do que outras às tendências culturais individualistas presentes na sociedade, a partir dos anos 1990.

O livro tem 175 páginas.


O livro Juventude Católica: o novo discurso da Teologia da Libertação encontra-se disponível para venda na Livraria Cajueiro. O valor unitário está orçado em R$20,00.

Os pedidos poderão ser feitos através dos seguintes contatos: 

E-mail: livraria@cajueiro.org.br

Telefone: + 55 (62) 8285-4436 (Tim)
8631-8557 (Oi)
9422-6625 (Claro)
    9957-2949 (Vivo) 

sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

Saudades de “Sião”



Junto aos rios da Babilônia nos sentamos e choramos, com saudades de Sião. (Sl 137,1)

        Walderes, você partiu tão repentinamente, deixando em nossos corações um sentimento profundo de dor, que como sarça ardente, não se consome (Ex 3,2). Com certeza, é uma dor apaixonada de saudade, pelo encanto e pela beleza que foi a sua existência. Sabíamos da fragilidade de sua saúde. Porém, de repente, depois de um tempo em terras tão distantes (Canadá), realizando um projeto de estudo (doutorado), você voltou e despediu-se como o cheiro do beija-flor, deixando em nós o suave perfume da sua serenidade e ternura.

        Sua vida foi tão curta!... Muito breve, porém profundamente intensa na força e na grandeza do seu ser, tornando-se para nós um sopro divino. Quanto bem neste mundo a sua presença despertou e realizou!  Quantas pessoas você cativou, amou e cuidou! Quantas dores do mundo você compartilhou e com elas se solidarizou! Quantas causas pela vida em plenitude (Jo 10,10), você abraçou e transformou!

        O Salmo 137, que inúmeras vezes juntos rezamos, fazendo a leitura da Palavra, desperta agora em nossas entranhas o mesmo sentimento de dor e saudade. No entanto, o nosso clamor não se resume ao lamento, à tristeza ou à dor. Sempre celebraremos ardentemente a graça e o consolo que vivenciamos em todos os momentos que partilhamos da sua presença de luz.  Choramos sim, pois o choro é uma expressão de amor. Cada lamento e cada lágrima manifestam a sua presença dentro de nós, em tudo que você semeou e realizou com gratuidade, coragem, teimosia, ousadia....

        Como esquecer de você, tão amigo, tão amado, tão sereno? Como esquecer o seu jeito perfeito e exigente de fazer as coisas acontecerem? Como não admirar o seu dinamismo, a sua sabedoria e criatividade? Como não compartilhar dos seus sonhos? Como não nos alimentar das suas sábias palavras iluminando tantos caminhos? Como não sentir o calor do seu abraço, o brilho do seu sorriso, a força do seu terno e eterno olhar? Como não saciar a sede da Palavra que permanece em nós através das suas inúmeras assessorias e dos seus escritos bíblicos com tanta inspiração e ardor? Como não sentar junto aos rios por onde você navegou (CEBI, CPT, CIMI, CAJU, Cara-Vídeo, Curso de Verão, Petrobras, CONIC, Instituto Marista de Solidariedade, Centro Pastoral Popular, CNBB-PJ, UEG, UFG....) e não chorar a saudade de você que, em muitas circunstâncias, foi para nós um “Monte Sião”, tornando-se  nossa fortaleza e fonte de inspiração com o seu jeito de ser, viver, amar?

        Em todos os seus projetos e realizações você foi brilhante, encantador. Seu brilho permanecerá para sempre, porque “Teu Sol não se apagará...” Muitas vidas sua chama de amor ainda há de aquecer e iluminar. “O amor jamais passará”, disse o apóstolo Paulo em uma de suas cartas (1Cor 13,8). Walderes, você jamais passará. Os seus sonhos, a sua utopia, os seus projetos de vida, estão plantados e enraizados no chão do nosso viver, da nossa história. Eles serão para sempre por nós lembrados, acalentados e partilhados.

        As terras por onde você pisou e semeou não são estranhas. Nelas vamos pegar as nossas “harpas’’, entrelaçar nossas mãos numa ciranda de sonhos e, em sua memória, cantar a sua, a nossa utopia: “Mudarei o sertão em açude, terra seca em olho d’água. Assim falou o Senhor das andanças, pra dar ao seu povo a esperança”.

        Bendito seja Deus porque um dia, um jovem sonhador, deixando a sua terra natal (Pernambuco), fez a experiência de um retirante que conhecia a aridez e o sofrimento do sertão nordestino, chegou ao cerrado do Planalto Central e, sem jamais negar as suas origens, aqui criou raízes e ensinou-nos a cultivar a esperança de um manancial de vida plena para os excluídos e as excluídas, com palavras, gestos e atitudes pelas quais nos apaixonamos e que agora se eternizam.  Amém! Axé! Awere!  

Dedico este texto à mulher que gerou no seu seio materno, esse menino apaixonante que fez e continuará fazendo história, como expressão da nossa admiração e gratidão. Obrigada, D. AUXILIADORA!
Mariana (CEBI-GO)

RODAS DE CONVERSA: A Juventude Quer Viver

1  


Mover-se ao encontro dos jovens. Esse é um convite, um chamado a todas as pessoas que lutam, sonham e constroem, no dia-a-dia, alternativas e possibilidades de vida. A necessidade de ampliar a atitude de escuta dos jovens, a partir deles, é uma exigência de quem deseja construir reações a diversas dores, preconceitos, extermínio e criminalização dos jovens.

Este caderno são roteiros organizados a partir da dinâmica de Rodas de Conversa, na perspectiva de dar voz aos jovens, possibilitando que estes e estas possam debater questões da sua realidade. Assim, quer gerar um espaço/movimento onde os jovens possam falar e dizer sua palavra por meio de vários modos de expressão, como a música, a dança, o teatro, a poesia, a pintura de muros, grafittes...

A campanha “A Juventude quer Viver” está nos mobilizando há algum tempo e é hora de retomar com outras atividades, revigorar esse caminho de defesa da vida da juventude. Nesse sentido, esse material, por meio de sua proposta, convoca a todos/as a dar um novo impulso a essa campanha que chama com um grito de esperança “A Juventude quer Viver”.

As Rodas de Conversa querem influir na construção de posturas e diretrizes que contribuam para estabelecer e aprimorar os direitos da juventude. Buscam ampliar o diálogo sobre a defesa da vida da juventude, partindo sempre da opinião dos/as jovens que participam do grupo. É importante, também, o diálogo com dados da realidade divulgados por pesquisas, notícias de jornais ou fatos da vida, buscando contemplar toda a conversa na procura de uma resposta do grupo, para dar um passo como movimento dos/as jovens na direção da mudança, algo concreto da Campanha A Juventude quer Viver.

O material está organizado na metodologia de três Rodas de Conversa. A primeira trata da pessoa do/a jovem e as condições de ser jovem hoje, identificando as fragilidades da vida que estão presentes nesta realidade, desde o local onde se situam os grupos; a segunda trata da juventude na comunidade, abrindo-se para perceber aspectos das situações da juventude e das organizações locais, apresentando a Campanha A Juventude quer Viver; a terceira convida para pensar a sociedade,  as redes de organizações sociais e os conselhos como caminhos possíveis na garantia de direitos. Há, ainda, um roteiro para realizar uma oficina de produção (música, teatro, poesia, grafite ou pintura de muro) para gerar uma Amostra Cultural para a comunidade onde estão situados os/as jovens (bairro, escola, igreja, etc).

O livro/caderno - Rodas da Conversas - A juventude quer viver, encontra-se disponível para venda na Livraria Cajueiro. O valor unitário está orçado em R$ 6,00 (seis reais).
Os pedidos poderão ser feitos através dos seguintes contatos: 

E-mail: livraria@cajueiro.org.br

Telefone: + 55 (62) 8285-4436 (Tim)
8631-8557 (Oi)
9422-6625 (Claro)
    9957-2949 (Vivo) 
Livro com 82 páginas, 19x19x1





quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

Como desenvolver a integração no grupo de jovens?



O tema central deste caderno é a Integração das pessoas no grupo, com a comunidade, com as religiões, com a cultura e com o planeta. Integrar-se como pessoa no mundo para nele atuar, sentir-se participante do grupo e construtora do mesmo.

O lugar místico é Betânia que nos convida a conviver com amigos. Uma pessoa integrada é uma pessoa que ama, aprende a viver em comunidade, sabe tratar o mundo com cuidado porque se sente, também, parte do universo. Exercita o respeito, ama a diversidade e sabe contemplar as belezas e diferenças que temos e somos.








O lugar biblico Betânia está sempre nas metas das viagens de Jesus. Esta cidade ficada a uns três quilômetros de Jerusalém (Jo 11,18). Jesus sempre hospedava em Betânia. Estando em Jerusalém, depois de ensinar no Templo, dirigia-se a Betânia.

Betânia o lugar dos amigos/as, estava na periferia de Jerusalém.  A pessoa do jovem necessita de encontrar a sua Betânia, lugar onde faz suas opções, espaços de convivência com amigos/as para cultivo dos valores.

O livro/caderno foi organizado por Alexandre Piero, Edison Lima, SJ, Liciana Caneschi, Vanessa Aparecida Araújo Correia. Toda a coleção contou com a revisão geral de Carmem Lucia Teixeira e Hilário Dick,SJ.

.O livro/caderno - COMO DESENVOLVER A INTEGRAÇÃO NO GRUPO DE JOVENS?, encontra-se disponível para venda na Livraria Cajueiro. O valor unitário está orçado em R$ 5,00 (cinco reais) e adquirindo acima de 30 UNIDADES, cada unidade sai a R$ 4,50 (quatro reais e cinquenta centavos). 
Os pedidos poderão ser feitos através dos seguintes contatos: 

E-mail: livraria@cajueiro.org.br

Telefone: + 55 (62) 8285-4436 (Tim)
8631-8557 (Oi)
9422-6625 (Claro)
    9957-2949 (Vivo)

terça-feira, 14 de janeiro de 2014

Como iniciar um grupo de jovens?




Esse caderno quer contribuir para a construção do grupo.  Sua finalidade é promover um encontro entre os/as jovens que desejam formar um grupo coeso, organizado e disposto a prosseguir a caminhada junto com outros/as jovens. Experimentando o processo de formação integral proposto pela Igreja Latino Americana.

Como todo roteiro, não é uma receita nem elimina a criatividade dos/as jovens que atuam no grupo, ao contrário, quer ser um estímulo para que cada um/a faça as adaptações necessárias para que o encontro aconteça da melhor forma possível, considerando a caminhada da pessoa que ali está, bem como a caminhada do grupo em si.

A ideia é contribuir na formação da juventude para que ela seja "apóstola de outros/as jovens", iniciando ou resignificando a sua experiência comunitária de encontro com a pessoa e com o projeto libertador de Jesus. Outros/as ajudarão o grupo a seguir os diversos passos de seu caminho, para que os/as jovens sejam sujeitos de uma História Nova, construtores/as de Projetos de Vida.


LINGUAGEM BÍBLICO-PASTORAL

Além da presença bíblica em cada momento do grupo durante todo o tempo de “nucleação”, somos convidados/as a ser iluminados/as para que caminhar em um “lugar bíblico” que sirva como alimento para a mística de todo esse tempo, é importante vivenciar completamente a presença desse lugar vital de cada um/a e na experiência do grupo. Pois, toda a nossa espiritualidade, caracteriza-se por tomarmos Jesus de Nazaré como Caminho, Verdade e Vida.


O “lugar bíblico” que sugerimos para os grupos que “começam” sua trajetória é Belém, com tudo o que este lugar significa. Belém deve ser como um “estribilho” ou, seja o ponto da Trilha da qual nos orientamos, para o qual sempre se volta, aprendendo mais e bebendo mais a profundidade do mistério que Belém encerra. 

O livro - COMO INICIAR UM GRUPO DE JOVENS?, encontra-se disponível para venda na Livraria Cajueiro. O valor unitário está orçado em R$ 5,00 (cinco reais) e adquirindo acima de 30 UNIDADES, cada unidade sai a R$ 4,50 (quatro reais e cinquenta centavos). 

Os pedidos poderão ser feitos através dos seguintes contatos: 

E-mail: livraria@cajueiro.org.br

Telefone: + 55 (62) 8285-4436 (Tim)
8631-8557 (Oi)
9422-6625 (Claro)
9957-2949 (Vivo)

Juventude e economia solidária



A economia solidária é uma forma de pensar e organizar o fazer econômico em vista de uma vida melhor para todos/as. Envolve um jeito diferente de produzir, vender, comprar e trocar o que é preciso para viver. Sem explorar ninguém, sem querer levar vantagens, sem destruir o  ambiente [...]

A economia solidária feita e vivenciada com jovens é umdesafio no sentido de construir novas práticas e valores de cooperação, autogestão, solidariedade num tempo em que os adolescentes e jovens se encontram abertos e instigados ara contribuírem e se colocarem no mundo adulto com perspectiva de repeito à natureza,à promoção da dignidade, justiça e vivências grupais coletivas próprias do seu tempo geracional.

Desta maneira a Economia Solidária é uma porta de entrada dos/as jovens no mercado de trabalho em tempos de precarização e exigências de capacitação se manifestam a todo tempo. É despertar os jovens a buscar uma geração de rende justa para as necessidades básicas pessoais e familiares e comunitárias.

Este material apresenta vários roteiros aos/às jovens,, educadores/as, gestores/as para a formação de jovens no tema da economia solidária como eixo importante na atuação e superação da exclusão social que milhares de jovens experimentam todos os dias em suas realidades.


O livro - JUVENTUDE E ECONOMIA SOLIDÁRIA, encontra-se disponível para venda na Livraria Cajueiro. O valor unitário está orçado em R$ 6,00 (seis reais) e adquirindo acima de 30 UNIDADES, cada unidade sai a R$ 5,00 (cinco reais). 

Os pedidos poderão ser feitos através dos seguintes contatos: 

E-mail: livraria@cajueiro.org.br

Telefone: + 55 (62) 8285-4436 (Tim)
8631-8557 (Oi)
9422-6625 (Claro)
9957-2949 (Vivo)



segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

Dinâmicas para a vida em grupo




Dinâmicas para a vida em grupo é fruto das tardes de formação para grupos de jovens. Aqui você encontra vários roteiros para realizar encontros para convocação de grupos de jovens. Porém, também, o material contém várias sugestões de dinâmicas para trabalhar temas com grupos.

O objetivo do material é CONVOCAR a juventude para a vivência grupal, o encontro, a troca de experiência e a celebração da vida.

E ainda, capacitar lideranças para o acompanhamento à vida comunitária, preparar multiplicadores/as das técnicas grupais, envolver e integrar jovens migrantes.

O material está destinado para  atividades abertas, realizadas com o desejo de despertar à juventude para a experiência comuntária.

O livro - DINÂMICAS PARA A VIDA EM GRUPO -, encontra-se disponível para venda na Livraria Cajueiro. O valor unitário está orçado em R$ 8,00 (oito reais) e adquirindo acima de 30 UNIDADES, cada unidade sai a R$ 7,00 (sete reais). 

Os pedidos poderão ser feitos através dos seguintes contatos: 

E-mail: livraria@cajueiro.org.br

Telefone: + 55 (62) 8285-4436 (Tim) 8631-8557 (Oi),9422-6625 (Claro), 9957-2949 (Vivo)




domingo, 12 de janeiro de 2014

Curso virtual para formação de educadores/as de juventude – Civilização do Amor Projeto e Missão


O Centro de Juventude Cajueiro ofereceu o primeiro curso virtual com o objetivo de capacitar educadores/as (jovens e adultos) para o serviço de acompanhamento à juventude e suas organizações. O tema central foram as orientações da Pastoral da Juventude do Continente Latino Americano que estão no livro Civilização do Amor – Projeto e Missão.

Aproximadamente 700 pessoas foram envolvidas entre participantes e facilitadores/as. Participaram 19 países; 11 grupos e instituições foram parceiras no projeto.

A formação virtual  foi organizada em cinco módulos: 1) Introdução, apresentação; 2) Marco da Realidade e Marco Histórico; 3) Marco Doutrinal e Celebrativo; 4) Marco Operativo e 5) Projeção da formação de lideranças e avaliação. O curso propôs, de modo livre, um trabalho final – a construção de um material didático para trabalhar nas comunidades e grupos o Marco de Referência da PJ Latino Americana.

A experiência foi carregada de muitas aprendizagens. A primeira delas é sobre o ambiente virtual e a questão da autonomia dos sujeitos em seus processos de formação. Uma questão é a exigência de disciplina para a participação, assim, como leituras pessoais. O curso foi oferecido de forma gratuita, com a colaboração de pessoas facilitadoras das turmas.

A metodologia de educação popular, com uma dinâmica que parte sempre da realidade, provoca o grupo dos participantes a rever as suas práticas, elaborar um caminho planejado para garantir um melhor acompanhamento da juventude a partir de projetos que partam dos interesses e necessidades de jovens concretos.

A Plataforma próxima da estruturas da Redes Sociais, também, foi um elemento importante para garantir um envolvimento da juventude.

Estamos no período de avaliação. Ela será vital para organizar projetos de formação neste espaço virtual. Muitas pessoas se inscreveram, porém, na mesma proporção as pessoas, também deixaram o curso, com várias justificativas. Algumas delas, bastante plausíveis, outras nem tanto.

Nosso desejo como Centro de Juventude é continuar oferecendo a proposta. Por isto, convocamos as pessoas que, por alguma razão, deixaram de participar, e, também as pessoas que permaneceram fieis até o final, para que possam nos enviar as suas impressões, sugestões, críticas a tudo que possa contribuir para a melhoria desta iniciativa.

O objetivo do curso era capacitar educadores/as (coordenadores/as e assessores/as) sobre o Marco de Referência da PJ do Continente. Oferecemos não somente a síntese, elaborada pelo Hilário, mas uma série de materiais didáticos, através das etapas. O que acharam?  O objetivo proposto foi alcançado? Os materiais, os textos, os  vídeos, as músicas, as orações contribuíram para entender a dinâmica da Civilização do Amor – Projeto e Missão?

Por favor, aquelas pessoas que estão neste processo,  reservem um tempo para dar esta bonita contribuição. Se puderem, postem na Plataforma. www.cajueiro.org.br/ava com sua senha e login. E aquelas pessoas que não tiverem disposição para entrar, enviem as impressões para virtual@cajueiro.org.br.


Carmem Lucia Teixeira – coordenação do curso.

quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

6a edição do Ofício Divino da Juventude com selo comemorativo dos 40 anos da PJ


O Centro de Juventude Cajueiro lança a 6a Edição do Ofício Divino da Juventude - ODJ. Esta edição comemorativa dos 10 anos de ODJ - 80 mil exemplares e dos 40 anos da Pastoral da Juventude - PJ.

CAJUEIRO  uma árvore plantada na beira de um riacho por onde corre amizade, projetos de vida, grupos, cuidado com a vida da juventude, forjadores de sujeitos autônomos com mística capaz de alimentar a causa.

O Centro de Juventude Cajueiro possui três eixos estruturantes: Formação, Assessoria e Pesquisa. Inicicou suas atividades em marços de 2013.È uma associação sem fins lucrativos, composta por profissionais de diversas áreas do conhecimento.

O Cajueiro está organizado em quatro equipes de trabalho: formação, comunicação/publicação, pesquisa e sustentabilidade. Possui uma coordenação geral de cinco pessoas eleitas em assembleia.

A impressão e edição do Ofício Divino da Juventude a parte da 6a edição e de responsabilidade  do Centro de Juventude Cajueiro. Em 2014 celebra-se 10 anos de ODJ. Com esta edição foram impressos 80 mil exemplares.


Esta 6a Edição contou com o apoio financeiro dos Irmãos Maristas, Irmãs Adoradoras do Sangue de Cristo e Colégio Preciosíssímo Sangue, Missionários Oblatos de Maria Imaculada, Congregação das Irmãs Azuis.

O livro - OFICIO DIVINO DA JUVENTUDE, encontra-se disponível para venda na Livraria Cajueiro. O valor unitário está orçado em R$ 5,00 (cinco reais) e adquirindo acima de 50 UNIDADES, cada unidade sai a R$ 4,00 (quatro reais). 

Os pedidos poderão ser feitos através dos seguintes contatos: 

E-mail: livraria@cajueiro.org.br

Telefone: 
+ 55 (62) 8285-4436 (Tim)
8631-8557 (Oi)
9422-6625 (Claro)
9957-2949 (Vivo)